Então

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Taiguara


Taiguara

Ouvi Taiguara quando tinha 15 anos,nunca mais consegui esquece-lo, várias decádas depois ainda lembro com muita saudade..
Taiguara é um ícone da maior importância do nosso cancioneiro popular. Sua história confunde-se com a de todos os que (com)viveram com os tristes tempos da tortura imposta pela didadura.
As musicas do Taiguara provocam um tipo de sentimento que não consigo explicar, as emoções se confundem. Parece que ele consegue nos conectar ao melhor de nos mesmos.
Não tem como ouvir e não ser tocado por essa magia.


Taiguara - AMÉRICA DEL ÍNDIO
AMÉRICA DEL ÍNDIO (Taiguara)

Libre América Latina
Del Brasil al Ecuador
De México a Argentina
De Uruguay a El Salvador...

Nación de tantas naciones
De Mambos y Chamamés
Autodeterminaciones
Es como la llamaré...

De acá mirando el mapa Ay...
como sugieres... y eres Mujer...
Granadominicanicaraguaiana...
Haitchilenezuelomboliviana

Llegó a mi casa un turista
Buscando "un macho tribal"
Le dije al débil racista:
- Señor... no lo tome a mal...

Soy Indio. No soy folklore...
Soy gente y voy a alcanzar...
La Ciencia que "los señores"
Corrompen p'a dominar.

Granadominicanicaraguaiana
Haitchilenezuelomboliviana...

Soy Indio. No soy folklore.
Soy gente y voy a alcanzar
La Ciencia que "los señores"
Corrompen p'a dominar....

La Ciencia que "los señores"
Corrompen p'a dominar...

Linda América del indio
Del Brazil al Ecuador
De México a las Malvinas
De Uruguay a El Salvador
De Uruguay a El Salvador...

Taiguara, embora nascido no Uruguai em 9 de outubro de 1945, durante uma temporada de shows de seu pai, o Bandoneonista e Maestro Ubirajara Silva mudou-se para o Rio de Janeiro em 1949 e para São Paulo, posteriormente, em 1960. Largou a faculdade de Direito para se dedicar à música. Participou de vários festivais e programas da TV. Fez bastante sucesso nas décadas de 60 e 70. Autor de vários clássicos da MPB, como Hoje, Universo do teu corpo, Piano e viola, Amanda, Tributo a Jacob do Bandolim, Viagem, Berço de Marcela, Teu sonho não acabou, Geração 70 e "Que as Crianças Cantem Livres"; entre outros.
Considerado um dos símbolos da resistência à censura durante a ditadura militar brasileira, Taiguara foi um dos compositores mais censurados na historia da MPB, tendo cerca de 100 canções vetadas. Os problemas com a censura eventualmente levaram Taiguara a se auto-exilar na Inglaterra em meados de 1973. Em Londres, estudou no Guildhall School of Music and Drama e gravou o Let the Children Hear the Music, que nunca chegou ao mercado, tornando-se o primeiro disco estrangeiro de um brasileiro censurado no Brasil.
Em 1975, voltou ao Brasil e gravou o Imyra, Tayra, Ipy - Taiguara com Hermeto Paschoal e uma orquestra sinfônica de 80 músicos. O espetáculo de lançamento do disco foi cancelado e todas as cópias foram recolhidas pela ditadura militar em poucos dias. Em seguida, Taiguara partiu para um segundo auto-exílio que o levaria a África e à Europa por vários anos.

Cavaleiro da Esperança


O "Cavaleiro da Esperança", de seu último álbum, não é outro senão Luís Carlos Prestes. Sempre se recusando a concessões ao sucesso e à ditadura ("a ditadura, militar ou civil, não está a serviço do povo"), Taiguara abandonou seu estilo romântico no auge da fama, aventurando-se por orquestrações sinfônicas e as influências africanas e latinas, voltando ao samba logo que pôde voltar a gravar. Em 1983, ao sair seu LP latino, Canções de Amor e Liberdade, Taiguara anunciou que seu próximo disco seria "dedicado ao Brasil africano". Numa coerência rara entre artistas populares, o LP seguinte (planejado desde 1985 e que esperaria onze anos após Canções de Amor e Liberdade) foi dedicado quase totalmente a seu lado africano, especialmente o samba, até no título, Brasil Afri.
Preparava o próximo trabalho, que seria dedicado ao samba carioca, com regravações de Noel Rosa, Paulo Cesar Pinheiro e outros. Taiguara estava pesquisando sambas que falassem da pobreza e alegria de viver nos morros cariocas. Infelizmente, tal projeto acabou não se concretizando, devido à um insistente câncer na bexiga que finalnente o levou em 14 de fevereiro de 1996.

"Hoje, eu trago em meu corpo as marcas do meu tempo, meu desespero, a vida num momento, a fossa, a fome, a flor, o fim do mundo..."
"Hoje" - Hoje 1969 - Taiguara


"Vê como um fogo brando funde um ferro duro. Vê como o asfalto é teu jardim se você crê, que há sol nascente avermelhando o céu escuro, chamando os homens pro seu tempo de viver. E que as crianças cantem livres sobre os muros, e ensinem sonho ao que não pode amar sem dor, e que o passado abra os presentes pro futuro, que não dormiu e preparou o amanhecer..."
"Que as crianças cantem livres" - Fotografias 1973 - Taiguara


"Eu desisto. Não existe essa manhã que eu perseguia. Um lugar que me dê trégua ou me sorria, uma gente que não viva só pra si. Só encontro, gente amarga mergulhada no passado, procurando repartir seu mundo errado, nessa vida sem amor que eu aprendi".
"Universo no teu corpo" - Viagem 1970 - Taiguara


"Pior que a matança medonha é o desemprego pra engolir... Seja no peito ou na raça, esse teatro devasso alguém tem que proibir... Seja no palco ou na praça, essas peças sem graça, vão ter que sair (sair de cartaz...)."
"Voz do Leste" - Cantos de Amor e Liberdade 1983 - Taiguara

2 comentários:

Red Eyes disse...

Thanks for taking us back to a time when you were 15. Such a beautiful post.

Beta Chaves disse...

Muito legal seu blog, adorei!!!