Então

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

60 mulheres que Marcaram a História do Feminismo



1. Christine de Pisan (1364-1429)
Primeira mulher escritora.
“...as mulheres são constantemente apresentadas de modo preconceituoso e sem motivo justo..”
(A Cidade das Mulheres, 1402)

2. Loise Labé (1520-1566)
Poeta de Lyon.
“...Que as severas leis dos homens não impeçam mais as mulheres de se dedicarem às ciências.”

3. Marie de Gournay (1566-1645)
Teórica feminista.
“Feliz és tu leitor se não estas no lugar do sexo ao qual se proíbem todos os bens, inclusive a liberdade.”
(O Protesto das Senhoras, 1626)

4. Olympe de Gouges (1748- 1793)
“Uma mulher tem o direito de subir ao cadafalso; ela deve ter, igualmente, o direito de subir a uma Tribuna.”
(Declaração dos Direitos da Mulher e da Cidadã,1791)

5. Mary Wollstonecraft (1759- 1797)
“Que mulher partilhe dos direitos dos homens e ela estimulará suas virtudes.”
(Defesa dos Direitos da Mulher, 1792)

6. Théroigme de Mericourt (1762-1817)
“Mostremos aos homens que nós não somos inferiores a eles, nem em virtudes nem em coragem...” (1790)

7. Madame de Staeël (1766- 1817)
“Examinai a ordem social e vereis logo que toda ela se volta contra uma mulher que queria chegar à altura da reputação de um homem.”

8. Eugénie Niboyet (1800-1882)
“A nossa causa é tão boa, tão justa que pode marchar de cabeça erguida e se defender por conta própria.”
(A voz das Mulheres, 1848)

9. Suzanne Voilquin (1801- 1876)
Sansimoniana.
“...o princípio da igualdade dos sexos, tornando a sociedade mais feminina, descobrirá o desconhecido.”
(A Mulher Livre,1832).

10. Flora Tristan (1803- 1844)
“O homem mais oprimido pode oprimir um ser, que é a sua mulher. Ela é a proletária do próprio proletário”.



11. Jeanne Derouin (1803-1894)
“Mudai as condições da oficina, mas não persigam as mulheres.”
(Resposta a Proudhon: “A oficina não é feita para as mulheres.”)

12. George Sand (1804-1876)
“Minha causa é da metade do gênero humano, é a causa de todo gênero humano...”(Indiana, 1832).
“A educação pode e deve encontrar remédio para tudo”. (Mauprat,1837).

13. Pauline Roland (1805-1852)
“Queremos que a mulher, tanto quanto o homem, seja criada como um ser livre, racional, pertencendo a si mesma, independente.”

14. Elisa Lamonnier (1805-1865)
Criadora das Escolas Profissionais para as Mulheres, em 1862.

15. Marie D’Agoult (1805-1876)
“A desigualdade entre os dois sexos ... é um conceito inadmissível para a consciência moderna.”

16. Susan B. Anthony (1820-1906)
“Jamais nos calaremos até o dia que nos concedam os mesmos direitos dos homens.”
(Mensagem às futuras gerações,1881)

17. Rosa Bonheur (1822-1899)
Pintora.
“Por que não terei orgulho de ser mulher?”

18. Helène Bertaux (1825-1909)
“Uma força ignorada, desconhecida, atrasada em seu vôo, assim é a mulher artista; uma espécie de preconceito social ainda pesa sobre ela...”
(União das Mulheres Pintoras e Escultoras,1881)

19. Nathalie Lemel (1827-1921)
Religiosa. Fundou A Sociedade da Marmita e a União das Mulheres em Defesa de Paris durante a Comuna.

20. Maria Deraisme (1828-1894)
“A inferioridade das mulheres não é um fato natural, é uma invenção humana, uma ficção social.”
(O Direito das Mulheres,1869)



21. Louise Michel (1830-1905)
“Se a igualdade entre os sexos fosse reconhecida, isso seria uma importante abertura na ignorância humana.”

22. Clemence Royer (1830-1902)
Cientista e filósofa.
“As duas metades da humanidade, por conta de uma diferença muito radical na educação, falam dois dialetos deferentes.”
(Introdução à Filosofia das Mulheres, 1859)

23. Olympe Audouard (1830-1902)
“Para uma mulher conseguir vencer em qualquer carreira é preciso que ela tenha talento dez vezes maior do que o talento de um homem...”
(Carta aos Deputados,19 de junho de 1862)

24. Andrée Léo (1832-1900)
“Acreditam que se possa fazer a revolução sem as mulheres?”
(A Social, 8 de maio, 1871)

25. Pauline Kergomard (1838-1925)
Criadora da Escola Maternal na França, 02/08/1881.
Inspetora Geral das Escolas Maternais, até junho de 1917.

26. Paule Minck (1839-1901)
Comunada.
“A Revolução Social não poderá ser definitivamente vitoriosa a não ser quando o homem e a mulher, enfim reconhecidos, combaterem juntos pela justiça e pela igualdade.” (1897)

27. Marie Bonnevial (1840-1919)
Jornalista de A Socialista.
“A família socialista, será composta por dois seres iguais em direitos na sociedades normal do futuro”. (1895)

28. Marie Pognon (1844-1925)
Presidenta da Liga Francesa pelos Direitos da Mulher.
“Em lugar da caridade, nós feministas, queremos a solidariedade.”
(Discurso no Congresso Internacional da Condição e Direitos das Mulheres,1900)

29. Hubertine Auclert (1848-1914)
Diretora da Cidadã.
“Eu não voto, eu não pago.” (Carta ao Prefeito, 1881)
“Será justo que as mulheres cumpram as leis que elas não elaboram? Que elas sejam menores diante dos direitos e maiores diante das leis regressivas?”
(O Direito Político das Mulheres, 1878).

30. Aline Valette (1850-1899)
“Que as mulheres venham a compreender que a sua dupla escravidão é o resultado de sua dupla qualidade de produtoras e reprodutoras, então, a denominação masculina se dissipará delas mesmas”
(Socialismo e Sexualismo,in Programa do Partido Socialista Feminino, 1893)



31. Elizabeth Dimitrieff (1851-1918)
“Paris está cercada. Paris está bombardeada... queremos ser livres!Cidadãs,é preciso vencer ou morrer!”
(União das Mulheres em Defesa de Paris, 1871)

32. Ellen Key (1851-1926)
“As mulheres não devem se contentar em seguir o progresso geral da humanidade, mas em seguir seu próprio desenvolvimento.”

33. Clara Zetkin (1857-1933)
“A mulher é escrava do homem e ficará nessa condição até que alcance sua independência econômica.” (1889)

34. Emmeline Pankhurst (1858-1928)
“Se as mulheres fossem livres, nenhuma delas se oporia às leis.”
(União Social Política das Mulheres, 1903)

35. Marguerite Durand (1864-1936)
“A vanguarda...foi... a personificação do feminismo até mesmo quando esparso e inconsistente...”
(A Vanguarda Cotidiana das Mulheres, 1897-1905).

36. Alexandra David Neel (1868-1969)
Primeira mulher estrangeira a penetrar no Lhassa, no Tibet.
“A aventura...única razão de ser da minha vida”.

37. Emma Gulman (1869-1940)
“A liberdade da mulher se ampliará até o limite de seu poder de libertar-se por ela mesmo.”
(A Tragédia da emancipação Feminina, 1906).

38. Rosa Luxemburgo (1870-1919)
“Quero agir sobre as pessoas como um trovão, mas para isso não é necessário recorrer a outros meios que sejam meus talentos.”

39. Alexandra Kollontai (1872-1952)
“A completa libertação da mulher que trabalha e ...uma nova moral sexual, serão, durante, toda minha vida, meus objetivos mais caros.”(1926)

40. Collete (1873-1953)
“Ser nosso mestre no prazer, mas, jamais como nossos iguais... eis o que jamais poderei perdoar-lhes.”



41. Madeleine Pelletier (1874-1939)
“Qualquer pessoa é verdadeiramente digna da liberdade quando não espera que ela lhe seja concedida, mas conquistando-a.”

42. Maria Verone (1874-1938)
Advogada sufragista
“A insurreição é o mais sagrado dos direitos.”

43. Suzanne Lacorre (1875)
“A igualdade perseguida como um fim é um engodo. Ela deve ser somente um meio, um caminho para a igualdade econômica.”
(A Eqüidade, 1913)

44. Marie Curie (1877-1934)
Premio Nobel de Física, 1903; de Química, 1911.
“Qualquer coisa de vital...este espírito de aventura que parece sem raiz e assemelha-se à curiosidade.”

45. Cécile Brunschwicg (1877-1946)
“...para um estrangeiro é uma grande surpresa constatar as hesitações de nosso Parlamento em regulamentar, definitivamente, a questão do voto feminino.” (1938)

46. Madeleine Vernet (1888-1949)
“Levantemo-nos diante da guerra e dos implacáveis inimigos para derrubá-los e destruí-los.”
(A Mãe Educadora,1921)

47. Marie Guillot (1880-1934)
“A operária ignora, portanto, a força da organização.Ela é a primeira vítima desta situação.” (1913)

48. Henriette Alquier (1880)
Instrutora
“...na sociedade com a qual sonhamos e onde só existirão produtores, a maternidade será sempre uma função social.” (1926)

49. Eugénie Cotton (1881-1967)
“Uma sociedade onde as mulheres puderem falar, será uma sociedade de paz.”

50. Hélène Brion ( 1882-1962)
“Eu sou inimiga da guerra porque sou feminista:a guerra é triunfo da força brutal, o feminismo só pode triunfar pela força moral e o valor intelectual.”



51. Virgínia Woof (1882-1941)
“As mulheres ficaram sentadas no interior de suas casas durante milhões de anos, embora, no presente, os próprios muros estejam impregnados de sua força criadora.”
(Um Quarto para Si)

52. Marcelle Capy (1891-1962)
“A corrente que impulsiona as massas femininas para o trabalho será mais forte do que nunca.” (1916)

53. Louise Weiss
“Se é preciso libertar as mulheres de um pesado passado de preconceitos e revisar as leis é preciso, também, e sobretudo, libertar a mulher dela própria.”
(Luta pelas Mulheres).

54. Bertie Albrecht (1895-1943)
“Pode-se, atualmente, julgar qual é o grau de dignidade alcançando pela mulher num país, pelo estado da questão do controle dos nascimentos nesse país.” (1934)

55. Marguerite Thibert (1837)
A mulher deve ser criadora na vida coletiva e não somente gerando filhos.” (1980)

56. Helène Boucher ( 1908-1934)
Rali Paris Saigon, 1929.
Recorde Mundial de Velocidade, 08/08/01934.

57. Colette Audry
“Por mais longe que eu recorde, não encontro um só momento em que eu possa me imaginar de outro modo que não seja independente.”
(A Criação Sufocada,1973).

58. Simone de Beauvoir
“Não se nasce mulher, nos tornamos mulher”.
“A libertação das mulheres começa no ventre.”
(O segundo Sexo, 1949)

59. Betty Friedam (1921-)
“O Casamento e a maternidade não são mais um fim em si.”

60. Kate Millet (séc.XX)
“Todas as civilizações históricas são patriarcais. Sua ideologia é a supremacia masculina.”



Um exame mesmo que superficial, da história da mulher, vai nos indicar que se trata de uma história de exclusão, invisibilidade, opressão e exploração, que perpassa todos os séculos, todas as idades e todos os países do mundo.
Mais , ao mesmo tempo, veremos que se trata de uma história de resistências e lutas para eliminar preconceitos e discriminações, recuperar posições perdidas, garantir direitos, transformar a vida e alcançar seu pleno florescimento como ser humano, igual, autônomo e digno.
Nesse processo , nunca poderemos perder de vista o papel desempenhado pelo movimento feminista, que tem se constituído, desde o século passado, no melhor instrumento de luta que a mulher pôde criar para servir-lhe simultaneamente de bússola e arma de combate, numa revolução que sabemos será a mais longa da história da humanidade.
Graças a isso, é que o movimento feminista pode ser hoje considerado, por importantes pensadores, como a corrente cultural mais criadora e revolucionária de nossa época. E o movimento de mulheres, emergindo na vida pública mundial, sobretudo a partir das últimas três décadas, pode ser considerado como um dos fenômenos políticos mais importantes do século XX.

9 comentários:

bloggi disse...

Maravilha de Post, sou professora de história e usei umas citações para elaborar uma prova para meus alunos. Mto bonito e bom. Parabéns! E Obrigada, né!?
Abraços

Adriele disse...

Amei!! A mulher merece pois já foi muito desvalorizada, hoje faz tudo q o homem faz com mais inteligencia e de salto alto!!!
Sopu mesmo muito feminista!!!

Nilo Cabral disse...

Parabéns, mas acho que há muita opressão ainda. Onde atuei em trabalhos diversos sempre presenciei, nas comunidades, as mulheres com tripla jornada, cuidam dos filhos, são responsáveis pelo gerenciamento de tudo na casa, enquanto os homens, estes, una arreados. Sou homem, mas percebo que a verdadeira liberdade começa em casa.

Anônimo disse...

O pior em relação à opressão é que faz parte do processo de socialização e, portanto, aprece natural aos olhos até memso das mulhres. E, quando a mulher luta por algo e conquista, é mostrado com demérito, como se fosse concessão ou favor. A opressão está dissimulada na realidade doméstica diária e, quando a mulher reclama, é visto pela sociedade como um defeito de personalidade, retirando o problema do coletivo social.

Helena Noblat disse...

Adorei. Parabéns, muito bom!

Helena Noblat disse...

Adorei. Parabéns, muito bom !

Helena Noblat disse...

Adorei. Parabéns, muito bom !

Helena Noblat disse...

Adorei. Parabéns, muito bom !

Welvisley Ribeiro Oliveira disse...

Mulher é mulher, e isso é imutável! A lei da criação, da natureza, obra do criador! Mesmo que a mulher seja uma delegada, promotora, juiza, ainda assim, continua sendo mulher, com suas respectivas virtudes, que são muitas. Mas homem é homem e mulher é mulher!