Então

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

PAULO AUTRAN declama FENANDO PESSOA

Tenho dó das Estrelas


Tenho dó das estrelas
Luzindo há tanto tempo,
Há tanto tempo...
Tenho dó delas.
Não haverá um cansaço
Das coisas,
De todas as coisas
Como das pernas ou de um braço?
Um cansaço de existir,
De ser,
Só de ser,
O ser triste brilhar ou sorrir...
Não haverá, enfim,
Para as coisas que são,
Não a morte, mas sim
Uma outra espécie de fim,
Ou uma grande razão --
Qualquer coisa assim
Como um perdão?

Um comentário:

Taís Luso disse...

Oi, Tuka, obrigada pela visita. Vim te conhecer, também.

Paulo Autran... que saudades, que voz!
Um beijo
Tais