Então

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Tati Monteiro - Menina Poeta de Alma Nômade



Folhas perdidas

Surge um grande momento em toda a existência,
A árvore chora suas folhas, quase todas caídas,
Sente que cai um pedaço de toda sua experiência,
A árvore pensa que está sendo sempre traída,
Mas no mundo ainda prevalece a lei da sobrevivência,
Fica o mais forte, restam apenas folhas perdidas...
Se a árvore não soubesse que o mundo dá voltas,
Tudo aquilo que há na vida deve ao início retornar,
As folhas que caem são da sua música as notas,
Não adianta querer viver somente para cantar,
Se todos conservassem no coração suas revoltas,
Quando nós conseguiríamos nos reencontrar?...
Só assim conseguimos entender o sentido da vida,
No momento em que mais precisamos de alguém,
Quando no caminho pessoa alguma nos auxilia na lida,
Vamos em frente, mas junto conosco ninguém vem,
Seria nos nossos sonhos nossa pequena asa partida,
Sabemos que há muitos males que vêm para bem...
Todos no decorrer do tempo somos folhas na verdade,
Sentindo tudo o que há de triste nas nossas vidas,
Verdes, deveríamos procurar aos poucos a felicidade,
Deixar pra trás nossas mágoas, nossas feridas,
Amadurecemos no caminho de volta à realidade,
Quando amarelas, somos apenas folhas perdidas...
E se ainda houver tempo dentro da nossa geração
Vamos continuar o nosso caminho, sempre vivendo,
Pois as folhas às raízes e ao duro chão retornarão,
Se houvesse tanto ou pouco tempo aprendendo,
Se não houvesse um pouco de sofrimento no coração,
Seríamos folhas, simplesmente perdidas, morrendo...
O eu amigo ou o amigo eu
Eu sou aquilo que não gostaria que vissem,
Descobrem-me sem olhar-me nos meus olhos,
Sou a água, o vinho, antes que partissem,
Sou de você todos, todos os seus sonhos...
Sou dos sonhos desfeitos o que resiste,
Sou aquele que traz o vento mais forte,
Você é a rara beleza que ainda existe,
Você é mais forte do que a própria morte...
Sou a vida que não se acaba, se busca,
Sou compelida a buscar o que não quer vir,
Sou o vento, a palavra, a vida brusca,
Sou a lágrima que cai ao você sorrir...
Sou o seu sonho desfeito mais uma vez,
Sou a sua respiração, sou seu simples ar,
A vida que ao nascer sozinha se desfez,
Sou o que termina e o que vai continuar...
Sei que se um dia eu tiver que virar o pó,
Que o vento não o ventile sobre jornais,
Você foi uma pessoa que me desfez o nó,
Sou o que sou para você e serei sempre mais...
Poesia do poetizar
A linha espera um tracejado
De minha mão trêmula,
Sedenta,
Inquieta...
Abunda palavras indeléveis,
Desenrola carretéis
Em galhos à luz das estrelas...
A poesia que nasce
Está nos olhos de quem lê
E na alma de quem escreve...
Ah!
Poesia que nasce todos os dias,
Não se esqueça dos pobres mortais
A acompanhar a lenta agonia
E a saída sem razão de emoções!
Poesia amiga,
Cante sua forma mais bela,
Tatue-se em minha pele,
Faça-me tornar apenas sua,
Mas faça com que a marca seja eterna
E não saia de seu coração...
Poesia...
Seja a mais bela forma
De recomeçar uma vida perdida!
A vida espera o recomeço
Enquanto alguns esperam o fim dela,
Eu espero trazer o sorriso
Do momento brusco e esquecido,
Do sentimento enlutado
E da depressão enlouquecida...
Poesia,
Cante a escrita do poeta,
Seu amigo encantado,
Coração ensandecido
De amor e lágrimas...
Hoje é o seu dia
De todos os dias!
Dê-me o lápis, a caneta,
Deslize seus versos à beira do luar...
Poema encantado,
Hoje vim poetizar!

Biografia:



Tatiana Monteiro
nasceu em 28 de março de 1980, na cidade de São Fidélis, situada no interior do estado do Rio de Janeiro. Filha única de Adherbal Costa Neto e Joana Maria Ferreira Monteiro, começou a dedicar-se cedo às letras e à literatura, tendo enorme gosto por leituras e mais leituras dos mais variados tipos.

Quase Engenheira Química, estudou na Universidade Federal Fluminense, em Niterói-RJ e a trabalho passou por outras cidades do estado do Rio de Janeiro.

No ano de 2001 abriu, ainda em página gratuita, o site Prosa em Verso, progrediu para um blog e dele partiu para um domínio próprio, o Portal de Cultura Prosa em Verso - http://www.prosaemverso.com.br -, em 2006, cuidando de divulgar a cultura literária contemporêna brasileira. Em 2009, a parte de cultura literária se expandiu e se transformou em cultura nacional, fazendo o Portal de Cultura Prosa em Verso tomar uma forma maior.

Através do orkut expandiu-se na divulgação de seu website, passou a ser conhecida em muitas comunidades, assim começou a conhecer nomes da nossa escrita nacional e encontrar amigos.

Participou no 1º e-book da Comunidade 'Poemas à Flor da Pele', criada pela amiga e poeta Soninha Porto, ano de 2006. Colunista em vários sites e blogs na parte de cultura e literatura em geral. Em 2007 abraçou o Projeto da Antologia dos Poetas Virtuais, da amiga e poeta Magali Oliveira, participando do II Livro de Poesias da Antologia dos Poetas Virtuais. No ano de 2008, novamente no projeto, participou do 1º Livro de Contos.

Profissionalizou-se na escrita, passou a estar mais no meio da cultura.

Jurada de concursos literários, ganhou respeito da parte de muitos escritores e poetas brasileiros. Orienta na construção de livros, dá suporte para criação, desenvolvimento e análise de obras.

Além do Portal de Cultura Prosa em Verso passou a dedicar-se em 2008 na área de webdesigner, onde dá suporte de criação, área técnica e operacional, além de gerenciamento completo, desenvolvimento e otimização de websites como webmaster.

No ano de 2009, juntamente com Magali Oliveira, é sócia-proprietária do Jornal 'Palavras ao Vento...' e da Estrela Poética Editora, sede em Cordeiro-RJ.

Considera-se 'alma nômade', pois está sempre nas estradas procurando divulgar a cultura e a literatura, encontrando os amigos então virtuais que tornam-se mais do que reais.

+04 de Abril de 2010

Um comentário:

Taty disse...

Maravilhosa essa homenagem, querida... disse tudo!

Obrigada por compartilhar com a gente!

Super beijo!