Então

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Roy Lichtenstein




Roy Fox Lichtenstein (Nova Iorque, 27 de outubro de 1923 — Nova Iorque, 29 de setembro de 1997) foi um pintor que procurou valorizar os clichês das histórias em quadradinhos como forma de arte, tentando criticar a cultura de massa. Artista gráfico, é um dos ícones da arte pop e desenhou naturezas mortas, paisagens e redefiniu obras primas da arte erudita.

O seu interesse pelas histórias em quadradinhos como tema artístico começou, provavelmente, com uma pintura do Mickey que realizou em 1960 para os filhos. Nos seus quadros a óleo e tinta acrílica, ampliou as características dos quadrinhos e dos anúncios comerciais, e reproduziu à mão - com fidelidade - os procedimentos gráficos. Empregou, inicialmente, uma técnica pontilhista para simular os pontos reticulados das histórias. Cores brilhantes, planas e limitadas, delineadas por um traço negro, contribuíam para o intenso impacto visual.

Com essas obras, o artista pretendia oferecer uma reflexão sobre a linguagem e as formas artísticas. Os seus quadros, desvinculados do contexto de uma história, aparecem como imagens frias, intelectuais, símbolos ambíguos do mundo moderno. O resultado é a combinação de arte comercial e abstração. Utiliza as imagens com um sentido irônico, elevando os quadrinhos à categoria da grande arte ao mesmo tempo em que valoriza sua condição de produto de massa.
Roy Lichtenstein se fez notar pela utilização das histórias em quadrinhos e dos clichês que, pinçados da arte comercial, se transformam em objetos de arte: socos, tiros, lágrimas pelo amor perdido, com frases e textos de apoio. Com certa ironia deu a esta fase o nome de “Grande Pintura”. Uma das melhores definições do movimento veio do próprio Roy :
"O que marca o pop, é - antes de mais nada- o uso que é dado ao que é desprezado”.  
Lichtenstein usava cores como: azul marinho, amarelo, vermelho e branco. Ele fazia contornos em preto, para realçar mais suas pinturas. Como nos anos 60 já usava o tema da ironia, que marcou os 90, Roy é considerado pioneiro, mestre e uma figura proeminente da arte americana. 
Sua obra "The Entablature" - que estava exposta no World Trade Center, foi destruída nos ataques de 11 de setembro. 

Faleceu em 1997, por complicações de uma pneumonia.

[Pop Art] is an involvement with what I think to be the most brazen and threatening characteristics of our culture, things we hate, but which are also powerful in their impingement on us.
- Roy Lichtenstein, quoted in Art News, November 1963
TRADUÇÃO LIVRE: " Pop Art é uma ação que eu penso ser a mais descarada e ameaçadora característica de nossa cultura, coisas que odiamos, mas que também são poderosas na sua 'colisão' contra nós". 

fonte:  ficpopart

Um comentário:

Fanzine Episódio Cultural disse...

Olá!! Este é um convite para você participar do “Grupo Academia Machadense de Letras”, onde você poderá publicar gratuitamente seus poemas, contos, crônicas, livros, música; textos sobre saúde, releases de CDS e DVDS, eventos, lançamentos, sugestões de filmes, Artes, Shows, teatro, cinema, dança, artesanato... Acesse o link abaixo e no canto superior direito clique em (PARTICIPAR). Grande abraço!
---------------------
https://www.facebook.com/groups/149884331847903/
OBS:
Em novembro (2013) a Academia Machadense de Letras, localizada em Machado, sul de Minas, realizará o IX Concurso de Poesias "Plínio Motta" (tema livre). Assim que sair o regulamento eu avisarei a todos Contamos com a sua participação.